ABORDAGEM HANEN
e o desenvolvimento comunicativo

A missão do HANEN é fornecer tanto aos pais, cuidadores, educadores infantis e fonoaudiólogos o conhecimento e tratamento necessários para ajudar todas as crianças pré-escolares e escolares a desenvolver melhor a fala, linguagem, habilidades sociais e alfabetização. Incluindo crianças com distúrbio específico da linguagem, Transtorno do Espectro Autista, Síndrome de Asperger e Síndrome do X Frágil, durante atividades cotidianas que exigem comunicação social e o processo de alfabetização. A utilização do método potencializa e facilita os resultados desejados em terapia dessas crianças.

Método de
abordagem TEACCH

O TEACCH é um tratamento e ensino para crianças com autismo e com dificuldades na comunicação. Ele é realizado nos tratamentos do autismo, com estratégias cognitivas e comportamentais, auxiliando os professores a intervir na capacidade de aquisição de habilidade do aluno, esse método fornece técnicas de organização, estruturação, repetições e treinamentos, considerando pré-requisitos importantes para a alfabetização.

O ambiente físico e social é organizado com a utilização de recursos visuais, para que a criança possa prever e compreender as atividades diárias com mais facilidade e ter reações apropriadas, a presença dos pais no programa do TEACCH é como co-terapeutas, para que as técnicas possam ter continuidade em casa. Esse método é usado por psicólogos, professores de educação especial, fonoaudiólogos e profissionais devidamente treinados.

Sistema de
comunicação PECS

PECS ou Sistema de Comunicação por Troca de figuras, consiste em um método para ensinar as pessoas com dificuldades na comunicação ou com autismo. Comunicando-se de forma funcional por intermédio da troca de figuras. A abordagem baseia-se na investigação e na prática dos princípios ABA (sigla em inglês para Análise Comportamental Aplicada), ele incluiu seis fases e também as estratégias para a introdução de atributos como cor, tamanho, preposição, entre outros.

O método propicía essencialmente a comunicação expressiva. Isto quer dizer que qualquer pessoa que apresenta dificuldade de se comunicar de forma verbal, obtém maneira alternativa de expressar suas necessidades, escolhas e vontades. Sendo assim o indivíduo aprende a usar figuras para se comunicar funcionalmente.

O PECS é um sistema de comunicação eficaz e funcional para todas as idades. É um sistema de comunicação alternativo (método único),
para aqueles que não falam.

O repertório
comportamental
ABA

A proposta de intervenção por meio de ABA implica em momentos planejados e estruturados e propõe a continuidade dos procedimentos para os diferentes ambientes naturais que frequenta, tendo em vista a generalização das habilidades adquiridas para o contexto natural.

Também são realizadas intervenções que promovem autonomia ao indivíduo, lhe proporcionando melhor qualidade de vida por meio da sua participação e envolvimento das obrigações diárias, introduzindo inclusive todos os profissionais, orientadores e cuidadores que fazem parte do convívio da criança.

O conceito Bobath

O princípio do Conceito Bobath é a inibição dos padrões reflexos anormais e a facilitação dos movimentos normais. O paciente aprende a sensação do movimento e não o movimento em si. O objetivo do tratamento é facilitar o movimento motor e inibir movimentos e posturas inadequadas. Sendo uma abordagem de tratamento indicada para o indivíduo com comprometimento de movimento, função e controle postural, decorrente de lesão ou má formação congênita do sistema nervoso central.

O Modelo Precoce de Denver

O Modelo Precoce de Denver é um dos poucos métodos de intervenção precoce com eficácia cientificamente comprovada para crianças com Perturbações do Espectro do Autismo. Considerado pela revista Time uma das 10 maiores descobertas da área médica no ano de 2012, o modelo de Denver foi desenvolvido após mais de 20 anos de estudos e pesquisas lideradas pela doutora Sally Rogers e seus colaboradores. Atualmente, este time de cientistas da área do desenvolvimento infantil se concentram no centro de excelência em autismo do MIND Institute, localizado em Sacramento na Califórnia.

Devido à sua grande eficácia no tratamento dos sintomas do espectro do autismo, o método de Denver começa a ser amplamente disseminado mundialmente. Seus manuais técnicos foram traduzidos para 13 línguas, e mais de 300 especialistas foram formados para aplicar e disseminar o método em países como os Estados Unidos, Canadá, Austrália, Inglaterra, França, Portugal, Itália, Suiça, China e outros. Em março de 2016 o workshop avançado visando a formações de profissionais será oferecido pela primeira vez no Brasil, em português.

Segundo os especialistas atuando com este método de intervenção, o grande diferencial do modelo de Denver está no uso de estratégias de ensino naturalistas, onde a criança aprende através da brincadeira e do jogo, mas sem abandonar os princípios da ciência da analise aplicada do comportamento (ABA). O modelo também se baseia nas pesquisas da área da psicologia do desenvolvimento, e adota as sequencias de desenvolvimento infantil como base para a avaliação e definição dos objetivos de intervenção em todas as áreas do desenvolvimento, incluindo a comunicação receptiva e expressiva, as competências sociais e de jogo, o desenvolvimento cognitivo, as habilidades motoras globais e finas, a imitação e os comportamentos adaptativos.

Neste modelo de intervenção o terapeuta e a criança se tornam parceiros de jogo e a interação social está no centro de cada atividade. Existe uma alternância continua entre atividades no chão utilizando objetos de jogo apropriados à idade da criança, brincadeiras sociais sem objetos onde a interação social é o centro da atividade (ex. como pega-pega, siga o mestre, cantigas de roda, girar, correr) e atividades na mesa (ex. desenhar e colorir, massa de modelar, lanche).

Seguindo os mais recentes avanços da ciência, para os autores do modelo precoce de Denver o autismo é encarado como uma falha no desenvolvimento social e da comunicação. Desta forma, o programa de tratamento foca na construção de uma relação afetiva com a criança. Esta é uma estratégia central do modelo, uma vez que as interações sociais positivas aumentam a motivação da criança em buscar novos contatos sociais e aumentam sua capacidade de aprender ao longo das atividades terapêuticas. Desta forma, as atividades são projetadas para aumentar a relevância das recompensas sociais, e consequentemente melhorar a atenção e a motivação social da criança.
No modelo precoce de Denver ensinamos a criança a buscar a interação social e a desenvolver suas competências sociais em um ambiente onde as interações sociais são dinâmicas, naturais e positivas.

As principais características do modelo precoce de Denver incluem:
1) A presença de uma equipe multidisciplinar, que trabalha todas as esferas do desenvolvimento infantil;

2) Foco no desenvolvimento das competências sociais e no envolvimento
interpessoal;

3) Desenvolvimento fluente, recíproco e espontâneo de gestos, movimentos
faciais e expressões, e da utilização de brinquedos e outros objetos;

4) Ênfase no desenvolvimento da comunicação verbal e não verbal;

5) Foco nos aspectos cognitivos das brincadeiras em rotinas de jogos interativos;

6) Fortalecimento e respeito às escolhas e motivações da criança;

7) Incentivo à iniciação, seguindo a crianças em suas motivações;

8) Adoção de um ambiente de ensino natural, favorecendo o desenvolvimento de
competências sociais que possam ser generalizadas à vivencia diária da criança;

9) Grande intensidade na apresentação de oportunidades de aprendizado à
criança;

10) Reforço por parte do terapeuta das tentativas e do esforço da criança, seja
qual for o seu nível de precisão;

11) Parceria com os pais e demais membros da família;

PROMPT

Durante essa semana surgiram alguns posts sobre o PROMPT. Fiz um texto esclarecendo as principais dúvidas.

O que é o PROMPT?
A sigla PROMPT significa “Prompts for Reestructuring Oral Muscular Phonetic Targets” (prompts para a organização dos pontos fonéticos oro musculares). Crianças com Apraxia de Fala não sabem como planejar os movimentos dos articuladores (língua, lábios, mandíbula, etc) para falar, e essa abordagem, por meio de estímulos específicos, a ajudam a “construir ” esse caminho.

PROMPT é uma abordagem multidimensional indicada para os distúrbios de produção da fala, que abrange não apenas os aspectos físico-sensoriais do controle motor da fala, mas também os aspectos cognitivo-linguísticos e sócio-emocionais. Não é apenas uma técnica de tratamento para ensinar os sons da fala, a abordagem Prompt envolve muitos aspectos.
Existem muitos estudos científicos sérios que comprovam sua eficácia no tratamento das desordens motoras de fala, como as Apraxias de Fala e Disartrias. Muitos pacientes que não respondiam aos tratamentos tradicionais, tiveram resultados incriveis.
Essa abordagem foi desenvolvida pela Dra. Déborah Hayden, Fonoaudióloga americana, juntamente com seus colegas, por um período de 30 anos. Então já tem tempo…não é nada novo!!

Quais os profissionais que podem participar do workshop Prompt?
Apenas FONOAUDIÓLOGOS. Pais e outros profissionais não podem participar. É um curso bem específico. Essa exigência é do próprio Instituto.

Onde fazer o workshop PROMPT?
Vocês encontram mais informações no website do Instituto Prompt:http://www.promptinstitute.com/

Quais são as etapas para ser uma Terapeuta Certificada PROMPT?
A certificação completa envolve 4 etapas:
I: Introdução à Técnica
II: Bridging PROMPT Technique to Intervention
III: Projeto Prático
IV: Apresentação de Estudo de Caso

No Brasil, temos Fonoaudiólogos certificados PROMPT?
Aqui, temos profissionais que já fizeram a etapa I (Introdução) e a etapa II. Ainda não temos terapeutas certificados (que já finalizaram todo o processo). No site do Institute Prompt consta a relação de profissionais.

Teremos o workshop PROMPT aqui no BRASIL?
Eu, juntamente com a Fonoaudióloga Denise Miranda, estamos trabalhando em um projeto para traduzirmos para o Português o nível I (Introdução à Técnica). Existe interesse do Instituto Prompt em trazer sim o curso I para o Brasil. Ainda estamos em fase de análise disso tudo e dando certo, o curso será promovido pela primeira no Brasil no segundo semestre de 2016 aqui em São Paulo. Divulgaremos aqui. Acreditamos que até abril já teremos mais novidades sobre o andamento desse projeto. Estamos empenhadas porque será mais um marco para a Apraxia de fala no Brasil.

Fonoaudiólogas que não quiserem esperar, podem entrar diretamente no site do Instituto e verificarem o calendário dos workshops (poderão fazer em Espanhol).

Agora um ponto muito importante: para eu atender uma criança com APRAXIA DE FALA, é essencial ter a certificação PROMPT?
NÃO. Para atender uma criança com Apraxia o Fonoaudiólogo deve ter disposição, deve conhecer e entender o planejamento motor de fala, controle motor de fala e principalmente entender sobre os princípios de aprendizagem motora (learning motor principles). Um Fonoaudiólogo que conhece e estuda esses princípios certamente saberá planejar uma intervenção adequada. Já escrevi aqui no grupo um outro post falando sobre isso.
É claro que toda formação é sempre válida, mas lembrem-se que neste caso, isso não limita as terapias.
A melhor terapia é aquela que consegue agregar várias estratégias, várias técnicas, vários conhecimentos…sempre pensando no que for o melhor para nossos pacientes e para o que realmente dá resultado.
Terapia com planejamento adequado sempre dará resultado! Se não der, é preciso rever se o realmente o diagnóstico está adequado, se os objetivos estão adequados, se as estratégias estão adequadas.